sábado, 16 de outubro de 2010

O Rótulo

Pensamentos me levam à uma rua sem mão,
com a volta ofuscada por meus olhos cegos de paixão,
tão indizível o tamanho sentimento, transformador,
quanto inexplicável é essa expressão e palavra amor,
digo tanto, mas eu que tenho, este sexto sentido,
diferente, completamente, pra você revertido,
continuamente vibrante, amante e alucinante,
o olhar resume o que eu sinto neste instante,
emoção rotineira, caindo como numa cachoeira,
tão natural, quanto este perfume que se cheira, (...)


saindo de uma pessoa, que de fato, é um desejo,
que exageradamente, nos sonhos diários eu almejo.

Acumulo rótulos de perdurar algo tão surreal, inocente,
mas sei, o quanto sou feliz, por somente tê-la em mente,
individualmente, desde que seja, pra gente,
o único confuso não é o leitor, sinceramente,
perdido neste amor, vejo uma luz no fim, enfim,
reflexo do anjo, que foi projetado pra mim,
perfeito em aspectos, gênero, número e gral,
Deus, será que isso mesmo é real?

Fecho-me neste mundo, em minha mente,
o mesmo do descontentamento descontente,
poesias fazem me identificar, com esse sentimento,
mas ta perfeito demais, pra eu citar algum lamento.

Agradável, insaciável, imponderável, irremediável,
mas positivamente e verdadeiramente, realizável,
o quanto eu evoluo, somente, com a tua presença,
visto que na minha vida, já se nota a diferença,
sereno, sagaz e contigo compatível,
tais virtudes, me tornam perceptível,
pra quem solenemente, só me importa,
transparecendo com algo que me conforta..

Que quando aumenta, gera até um certo incômodo,
porque eu também quero guardar isso pro meu futuro todo,
falando do nosso amor, o bem-estar é somente um adjetivo,
mas individualmente já me manteria vivo, como um incentivo,
o brilho do nosso olhar, ao notar o quanto é forte,
essa ligação, sem explicação, que traz à nossa sorte,
com inimagináveis e respeitáveis proporções,
meio caminho andado, pra essa estrada de emoções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário